Chamada de trabalhos para o enlace temático “Diversidade Sexual e de Gênero em Áreas Rurais, Contextos Interioranos e/ou Situações Etnicamente Diferenciadas – novos descentramentos em outras axialidades”, no V Enlaçando Sexualidades

O V Seminário Internacional Enlaçando Sexualidades recebe até 19 de junho de 2017 propostas de comunicações a serem apresentadas nos enlaces temáticos, considerando o seguinte cronograma:

 Prazo para envio de resumo expandido: até a 19 de junho de 2017.

Divulgação de aceites: até 26 de junho de 2017.

Envio do Trabalho completo: 07 de agosto de 2017.

Orientações para submissão de comunicações para os Enlaces Temáticos

“Diversidade Sexual e de Gênero em Áreas Rurais, Contextos Interioranos e/ou Situações Etnicamente Diferenciadas – novos descentramentos em outras axialidades”.

Coordenadores:

Fabiano Gontijo (SEXGEN/UFPA)

Moisés Lopes (NAPlus/GPAC/UFMT)

O Grupo de Pesquisa Sexualidade, Corpo e Gênero (SEXGEN) da UFPA e o Grupo de Pesquisa em Antropologia do Contemporâneo – Sujeitos, Sociabilidades e Visibilidades (GPAC) da UFMT convidam pesquisadores da Antropologia e das Ciências Humanas a participarem do Enlace Temático “Diversidade Sexual e de Gênero em Áreas Rurais, Contextos Interioranos e/ou Situações Etnicamente Diferenciadas – novos descentramentos em outras axialidades”, que pretende reunir trabalhos cujo tema seja o da diversidade sexual e de gênero em contextos rurais, interioranos e/ou em circunstâncias etnicamente diferenciadas. No Brasil, no âmbito das Ciências Humanas e, em particular, da Antropologia, apesar da consolidação teórica e metodológica dos campos de estudos sobre ruralidade, por um lado, e, por outro, sobre gênero e sexualidade, percebe-se que pouco foram tratados, em ambos os campos, os aspectos relacionados à experiência da diversidade sexual e de gênero nas zonas rurais brasileiras. O mesmo se observa em relação aos contextos interioranos, caboclos e ribeirinhos e às situações etnicamente diferenciadas, indígenas e quilombolas, apesar de os estudos sobre etnicidade e sobre povos e comunidades tradicionais terem uma certa (e longa) trajetória no país. A proposta do enlace temático tem os seguintes objetivos: (1) instigar as reflexões sobre a persistência da (quase) inexistência de pesquisas nas Ciências Humanas brasileiras e, em particular, sobre a diversidade sexual e de gênero em situações rurais e em contextos etnicamente diferenciados; de (2) apresentar novos resultados de pesquisas realizadas nesses contextos (no Brasil em particular e nas Américas como um todo); e, enfim, de (3) propor mais aportes teóricos adequados e planear soluções metodológicas inovadoras para lidar com essas realidades.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Chamada de trabalhos para o simpósio temático “Gênero e Cinema: entre narrativas, políticas e poéticas”, no 3º Desfazendo Gênero

 

O 3º Seminário Internacional Desfazendo Gênero recebe até 7 de maio de 2017 propostas de comunicações a serem apresentadas nos simpósios temáticos. No mesmo período, também podem ser enviadas propostas de pôsteres para serem expostos no evento, considerando o seguinte cronograma:

logo_P

Prazo para envio de resumo simplificado: 31 de março a 07 de maio.

Divulgação de aceites: até 31 de maio.

Envio do Trabalho completo: 1 a 30 de junho.

Orientações para submissão de comunicações para os Simpósios Temáticos

 Gênero e Cinema: entre narrativas, políticas e poéticas

Coordenadores: Marcos Aurélio da Silva (GRAPPA; PPGAS/UFMT); Paula Alves de Almeida (GRAPPA;  ENCE/IBGE); Luiz Gustavo Pereira de Souza Correia (GRAPPA; PPGAS/UFS).

Email para propostas: st37@desfazendogenero.com

O simpósio pretende reunir pesquisadores e pesquisadoras que estudam as questões de gênero a partir de um olhar sobre o cinema, bem como aqueles que investigam a linguagem e a produção cinematográficas, a partir do campo das relações de gênero. Quais os lugares dos gêneros nos discursos cinematográficos? Como as sexualidades são apropriadas e negociadas nas produções cinematográficas? Se o cinema é um espaço de construção, crítica e reprodução, como o feminino e o masculino se posicionam e como são posicionados? Como são projetadas as sexualidades não hegemônicas em produções comerciais e independentes? Os estudos de cinema e a crítica feminista têm se colocado, desde os anos 70, diversas perguntas sobre o lugar da narrativa fílmica na constituição dos olhares sobre os gêneros e, mais recentemente, o discurso fílmico tem sido apropriado como forma de contestação e problematização dos discursos que buscam normatizar e domesticar as sexualidades. Este simpósio reunirá reflexões que tenham como eixo norteador as linguagens cinematográficas comerciais, independentes, alternativas, ficcionais e/ou documentais, como produtoras de significados que não apenas refletem as relações de gênero e sexualidade, mas que também constituem essas relações em processos contemporâneos de subjetivação. Se o cinema porta um discurso sobre as socialidades humanas, performando críticas, questionamentos, dúvidas e afirmando verdades, esse simpósio pretende reunir trabalhos que permitam entender o cinema como um espaço habitável por esses sujeitos que se constituem e são constituídos na linguagem cinematográfica. Também buscamos trabalhos que enfoquem produções audiovisuais, coletivos e/ou diretores, produtores e outros artistas que se utilizam da linguagem cinematográfica para desfazer ou desconstruir o gênero, oferecendo novos olhares para o cinema e para os sujeitos dessas produções. Quais são os desafios apresentados à teoria do cinema, aos estudos de gênero e sexualidade e às ciências humanas por novas cinematografias e pelos usos do cinema nas movimentações políticas e sociais?

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Jornadas do NAPlus: os saberes das “drogas”

O Núcleo de Antropologia e Saberes Plurais (NAPlus) realiza mais uma edição das Jornadas do NAPlus, com a mesa redonda “Os saberes das ‘drogas’: os limites da política proibicionista”, que acontece no dia 24 de maio, às 14h no auditório do Museu Rondon. A mesa reunirá pesquisadores que vão debater a questão do uso de entorpecentes e os limites das políticas nas áreas de segurança e saúde, pautadas pelo proibicionismo. A mesa faz parte da Semana de Luta Antimanicomial. As Jornadas do NAPlus, evento que, desde o ano passado, reúne pesquisadores, militantes, produtores culturais, cidadãos com diferentes trajetórias e experiências sobre temas delicados e importantes da contemporaneidade.cartaz-jornadas-antimanicomial

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Jornadas do NAPlus: o Carnaval e a Cidade

O Núcleo de Antropologia e Saberes Plurais (NAPlus) realiza mais uma edição das Jornadas do NAPlus, com a mesa redona “O carnaval e a cidade: experiências locais, perspectivas nacionais”, que acontece no dia 7 de abril, às 14h30 no auditório do Museu Rondon. A mesa reunirá pesquisadores e carnavalescos que vão debater a importância das festas para a cidade e para a cidadania.

Participam o carnavalesco da Unidos do Viradouro (São Gonçalo/RJ), Edson Pereira, que nos últimos anos foi destaque com seu trabalho nas escolas Unidos de Padre Miguel e Mocidade Independente, e o carnavalesco Celso Nazário da escola de samba Tradição do Araés, atual campeã do carnaval de Cuiabá. O mestrando Victor Marques, do PPGAS/UFMT, também apresenta resultados preliminares da sua pesquisa de dissertação sobre o tema.

A mesa faz parte das Jornadas do NAPlus, evento que, desde o ano passado, reúne pesquisadores, militantes, produtores culturais, cidadãos com diferentes trajetórias e experiências sobre temas delicados e importantes da contemporaneidade.

cartaz-jornadas-carnaval

Publicado em jornadas | Deixe um comentário

“Antropologia e Diversidade Sexual: novos descentramentos, outras axialidades” é o tema das próximas Jornadas do Naplus

A próxima edição das Jornadas do NAPlus (Núcleo de Antropologia e Saberes Plurais/UFMT) ocorrerá no dia 24 de outubro às 19:00, tem como tema “Antropologia e Diversidade Sexual: novos descentramentos, outras axialidades” e vai contar com a presença do Prof. Dr. Estevão Rafael Fernandes (UNIR), do Prof. Dr. Moisés Lopes (DAN/ PPGAS/ UFMT) e com coordenação da Profa. Dra. Sonia Regina Lourenço (DAN/ PPGAS/ UFMT).

mesa-5

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

A educação, o gênero, a identidade e a raça são temas da próxima edição das Jornadas do NAPlus

A próxima edição das Jornadas do NAPlus (Núcleo de Antropologia e Saberes Plurais/UFMT), no dia 30 de setembro, tem como tema “Antropologia e Educação: Gênero, identidade e raça” e vai contar com a presença do Prof. Dr. Sérgio Pereira dos Santos (IE/UFMT), Profª Drª Luciene Neves (UNEMAT) e Mestra Zizele Ferreira dos Santos (Coletivo Negro da UFMT). O debate será mediado pelo professor Moisés Lopes, um dos coordenadores do NAPlus e começa às 14h00, no Auditório do Museu Rondon da UFMT.

naplus 5

MAIS INFORMAÇÕES SOBRE AS JORNADAS, CLIQUE AQUI.

Publicado em jornadas | Deixe um comentário

Dissertação de mestrado que aborda o crack será defendida na próxima sexta

“Entre ruas, pedras e sujeitos: uma etnografia sobre o Crack por trajetos cuiabanos” é o título da dissertação de mestrado, que será defendida na manhã da próxima sexta-feira, pela acadêmica Susana Sandim Borges, no Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da UFMT. A pesquisa, realizada desde 2014, percorreu ruas de Cuiabá em que há consumo de crack, para escutar histórias dos usuários e confrontá-las com o olhar da população em geral e com as ações do Estado voltadas para estas pessoas. A autora também faz um levantamento sobre as políticas nas áreas da saúde e da segurança ligadas ao consumo de substâncias ilícitas e questiona o porquê da manutenção das mesmas, uma vez que se mostram ineficientes, equivocadas e, em muitos casos, moralistas. A defesa da dissertação começa às 9h, no auditório do Museu Rondon.

DEFESA PÚBLICA DE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO

Entre ruas, pedras e sujeitos: uma etnografia sobre o Crack por trajetos cuiabanos, de Susana Sandim Borges.

Quando: 16 de setembro de 2016, 9h.

Onde: Auditório do Museu Rondon

BANCA EXAMINADORA

Prof. Dr. Marcos Aurélio da Silva/UFMT (orientador)

Prof. Dra. Sônia Weidner Maluf/UFSC (membro externo)

Prof. Dr. Moisés Alessandro de Souza Lopes/UFMT (membro interno)

Prof. Dr. Marcio Alessandro Neman do Nascimento/UFMT (suplente)

 

Publicado em defesa | Deixe um comentário

Biolegitimidade e políticas sociais é tema de palestra do PPGAS/UFMT

O Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social/UFMT convida para a palestra “Biolegitimidade, direitos e políticas sociais: novos regimes biopolíticos no campo da saúde no Brasil” que será proferida pela professora dra. Sônia Weidner Maluf, antropóloga da Universidade Federal de Santa Catarina, no dia 16 de setembro, às 15h, no Auditório do Museu Rondon de Etnologia e Arqueologia. A professora Sônia Weidner Maluf é uma das referências recentes mais importantes na antropologia urbana e do contemporâneo, nos estudos da pessoa, da corporalidade, do gênero e da narrativa. Suas pesquisas desafiam os campos das políticas públicas, da saúde mental e das religiosidades brasileiras. Nesta palestra, Sônia Maluf vai apresentar “uma reflexão sobre um aspecto cada vez mais presente nas políticas sociais contemporâneas: a biolegitimidade como um dispositivo de produção de direitos, de reconhecimento e de acesso a serviços e atendimento por parte do Estado, e também como meio de reivindicação e de conquista de direitos”.

cartaz-sonia-web

Doutora em Antropologia Social e Etnologia pela Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales, França (1996), Sônia Maluf é professora associada IV da Universidade Federal de Santa Catarina, docente do PPGAS/UFSC e do PPGICH/UFSC. É formada em Jornalismo pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1984) e mestre em Antropologia Social pela UFSC (1989). Fez pós-doutorado na Nottingham Trent University e na London School of Economics (2004-2005) e na Ecole des Hautes Études en Sciences Sociales (2011-2012). É pesquisadora associada do IRIS/EHESS. Publicou os livros Encontros noturnos: bruxas e bruxarias na Lagoa da Conceição (1993) e Les enfants du verseau au pays des terreiros: les cultures thérapeutiques et spirituelles alternatives au Sud du Brésil (1998), além de várias coletâneas, artigos e capítulos de livros. Foi editora da Revista Estudos Feministas. Coordena o Núcleo de Antropologia do Contemporâneo (www.transes.ufsc.br) e é Coordenadora Executiva do Instituto Brasil Plural/INCT/CNPq (brasilplural.paginas.ufsc.br) e vice-diretora do Centro de Filosofia e Ciências Humanas da UFSC.

Serviço
Palestra: Biolegitimidade, direitos e políticas sociais: novos regimes biopolíticos no campo da saúde no Brasil, com a prof. Dra. Sônia Weidner Maluf
Local: Museu Rondon/UFMT
Data: 16 de setembro, às 15h
Realização:
Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social/UFMT
Museu Rondon de Etnologia e Arqueologia/UFMT
Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Brasil Plural/UFSC/UFAM
Pró Reitoria de Pós-Graduação/UFMT
Publicado em palestra | Deixe um comentário

10ª Mostra de Cinema e Direitos Humanos no Mundo

Entre os dias 27 e 29 de julho a população de Cuiabá e Várzea Grande poderá participar da mostra de Cinema e Direitos Humanos que está sendo organizada pela Comissão de Diversidade e Inclusão do Tribunal Regional do Trabalho de Mato Grosso e pelo Departamento de Antropologia do Instituto de Ciências Humanas e Sociais.

O evento será realizado no Auditório do Museu Rondon de Etnologia e Arqueologia da Universidade Federal, na oportunidade serão exibidos filmes, quase todos do gênero documental, abordando temas relacionadas ao respeito individual e a inclusão social.

Confira a sinopse e o horário de apresentação dos filmes:

27/07 19h30 – Félix, o Herói da Barra (longa-metragem) – Fundador da comunidade de Barra de Aroeira (TO), Félix seria um ex-escravo que teria lutado na guerra do Paraguai e recebido de D. Pedro II uma grande extensão de terras pela sua atuação no conflito. A perda do documento real gerou um conflito, pela posse das terras que já dura mais de 50 anos.

28/07 19h30 – 500 (longa-metragem) – Os bebês roubados pela Argentina – Durante a ditadura militar na Argentina, foram sequestrados bebês e crianças, filhos de presos e desaparecidos políticos ou nascidos em prisões clandestinas ou centros de tortura e extermínio. O grupo “Avós da Praça de Maio” criou o “Banco dos 500”, uma luta para localizar as 500 crianças a partir de amostras de seus próprios sangues.

29/07 (a partir das 15h) – Abraço da Maré (curta metragem) – No meio da atribulação de um centro urbano, cinco pessoas vivem na mais pura sintonia entre a natureza e a cidade. Do asfalto ao mangue, o curta-metragem documental “Abraço de maré” traz para a tela a história de vida de uma família ribeirinha, que mora em uma casa de taipa às margens do rio Potengi.

– O Muro é o Meio (curta metragem) – Aborda pichações de protesto gravados nos muros da Universidade Federal de Sergipe. São gritos de revolta pela falta de segurança no Campus, estrutura e qualidade de ensino. As pichações são mostradas como formas de indignação, reivindicação e também de comunicação contra a apatia das paredes brancas que abafam os conflitos socioculturais.

– Do meu lado (curta metragem) – As vidas de duas vizinhas, uma umbandista e uma protestante, começam a se cruzar quando uma infiltração abre um buraco na parede que divide suas casas.

29/07 (às 19h30) – Porque Temos Esperança (longa-metragem) – Mostra a jornada de uma mulher pernambucana e a sua rejeição para tudo aquilo que parece não ter jeito. Vivendo profundos dilemas na vida pessoal e na tentativa de reconstruir outras vidas, ela inicia uma trajetória pelos presídios de Recife, na intenção que pais reconheçam seus filhos.

13680533_1010850822346272_5203644744803547613_n13781670_1010850739012947_4619927811739283581_n13872873_1010850785679609_8621358313780344074_n13775374_1010850772346277_8347438218334435601_n    13781770_1010850735679614_3888476911985940755_n13872898_1010850732346281_4458463568293468011_n  13627257_1010850782346276_7272899663480974750_n

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

O cinema de mulheres em Mato Grosso é tema da próxima edição das Jornadas do NAPlus

A próxima edição das Jornadas do NAPlus (Núcleo de Antropologia e Saberes Plurais/UFMT), no dia 13 de julho, tem como tema “Cinema e Gênero: perspectivas locais, questões globais” e vai contar com a exibição de dois filmes e suas respectivas diretoras que vão apresentar suas experiências sobre um cinema de mulheres no Mato Grosso. Serão exibidas as produções cuiabanas De volta pra casa (2015, 60’), de Danielle Bertolini, e Sob os pés (2015, 20’), de Juliana Segóvia e Neriely Dantas. O debate será mediado pelo professor Marcos Aurélio da Silva, um dos coordenadores do NAPlus. As projeções e os debates começam às 14h30, no Auditório do Museu Rondon da UFMT.

jornadas

 DE VOLTA PRA CASA (Cuiabá, 2015, 60′)documentário de Danielle Bertolini

Odevoltapracasa-danielle documentário aborda a violência doméstica por um prisma inusitado – os homens presos pela Lei Maria da Penha. Começou como um projeto de extensão da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), que visava diminuir a reincidência de prisões pela Lei Maria da Penha em Cuiabá. O resultado é um documentário que retrata a vontade, do único dos entrevistados, de retornar à família após sair da prisão. Foram três anos de trabalho que culminam agora com o lançamento do primeiro longa-metragem da jornalista e cineasta Danielle Bertolini.

Desde 2013, Danielle Bertolini vem acompanhando a situação de homens presos pela Lei Maria da Penha no Centro de Ressocialização Carumbé, em Cuiabá, através da documentação em vídeo, que inspiraram o filme. O documentário tem como mote a violência doméstica observada pelo prisma do homem encarcerado, que faz uma reflexão sobre o que o levou à prisão, além de depoimentos de agentes da Justiça, mulheres agredidas e ativistas. O título se refere ao caso do personagem José Aparecido, o único dos homens entrevistados que após sair da prisão irá tentar retomar sua família, seu lar – sua casa. O filme tem o patrocínio do Ministério da Educação, através do Programa de Extensão (Proext), do Governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria de Cultura, e da Universidade Federal de Mato Grosso, e é produzido pela Cumbaru Produções Artísticas.

A diretora Danielle Bertolini tem em seu currículo outros documentários – Águas Encantadas do Pantanal (2001), Festa de Família (2001), Sobre a Violência (2009), Encontro de Parentes (2012), além da direção do Festival de Cinema Feminino de Chapada dos Guimarães – Tudo Sobre Mulheres.

 

SOB OS PÉS (Cuiabá, 2015, 20’), documentário de Neriely Dantas e Juliana Segóvia

sobospesO curta documentário Sob os Pés, dirigido por Juliana Segóvia e Neriely Dantas foi realizado no ano de 2015 e traz a narrativa de 11 skatistas que fazem das ruas e praças da cidade de Cuiabá espaços da prática de algo que vai muito além de uma simples atividade esportiva. O filme também aborda o nascimento do maior movimento de skate feminino do Brasil, em Cuiabá. Segundo as diretoras, “ser mulher no Brasil não é fácil, ainda mais quando assumimos posicionamentos que vão contra o fluxo dos padrões estabelecidos. A criação e desenvolvimento de grupos como o Divas Skateras nos inspira a noção de que enquanto mulheres e líderes temos muito pelo que reivindicar e conquistar”. O documentário foi desenvolvido em Cuiabá ao longo de três meses (somando o período de captação de imagens e pós produção), período em que as diretoras vivenciaram “experiências inesquecíveis com uma galera admirável, cordial, receptiva e organizada. O skate em Cuiabá é cada vez mais forte”.

MAIS INFORMAÇÕES SOBRE AS JORNADAS, CLIQUE AQUI.

Publicado em jornadas | Deixe um comentário